LILACS

LILACS – Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde – Informação e evidência científica e técnica em saúde da América Latina e Caribe – BIREME/OPAS/OMS – LILACS – Información y evidencia científica y técnica en salud de América Latina y el Caribe | LILACS – Scientífic and technic information and evidence of Latin-american and Caribbean Countries Um bem público regional de informação científica Un bien público regional de información científica A regional public good on scientific information

Guia de Seleção de Documentos para a Base de Dados LILACS

Metodologia LILACS

Guia de Seleção de Documentos para a Base de Dados LILACS

6a. edição revisada e ampliada
Dezembro 2020

Texto completo (versão 2008)

A versão web teve partes suprimidas
visando foco no conteúdo do manual.

Como usar este manual

Este Guia contém critérios para a seleção dos documentos que farão parte da base de dados LILACS, uma das Fontes de Informação da BVS (Biblioteca Virtual em Saúde). É composto de duas seções principais: cobertura da base de dados e critérios de seleção por tipo de literatura, além de dois apêndices. A primeira seção corresponde às definições da cobertura temática, cronológica, geográfica e idiomática da base de dados LILACS. A segunda seção corresponde ao
critério específico de seleção por tipo de literatura, como publicações períodicas, livros, teses, dissertações e outros. Nos apêndices encontra-se uma lista contendo as principais categorias do DeCS e os Critérios de Seleção de Periódicos para a Base de Dados LILACS.

Serve para orientar os Centros Cooperantes na seleção do material a ser ingressado na base LILACS e estabelece critérios de seleção e classificação comuns para garantir a integridade, compatibilidade e qualidade dos registros da base de dados.

Não é um manual de catalogação, portanto não pretende ensinar esta prática. Também não se trata de um manual de indexação ou de um guia para a operação de uma base de dados.

Os critérios de seleção apresentados neste Guia provavelmente não resolverão todas as dúvidas que surgem no momento da decisão. Se, após ter analisado todos os elementos da tomada de decisão, incluindo a consulta a especialistas, a dúvida persistir, o indexador deverá optar pela inclusão do documento.

Topo

1.3 Sobre a Metodologia LILACS

A Metodologia LILACS é um componente da Biblioteca Virtual em Saúde em contínuo desenvolvimento, constituído de normas, manuais, guias e aplicativos, destinados à coleta, seleção, descrição, indexação de documentos e geração de bases de dados.

Esta metodologia foi desenvolvida a partir de 1982, e surgiu diante da necessidade de uma metodologia comum para o tratamento descentralizado da literatura científica-técnica em saúde produzida na América Latina e Caribe.

Utilizando esta Metodologia os países que integram o Sistema Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde criam bases de dados locais e nacionais e cooperam com a alimentação da base de dados LILACS, contribuindo com o controle bibliográfico e a disseminação da literatura científico-técnica da Região, no modelo de cooperação técnica estabelecido pela Biblioteca Virtual em Saúde.

Ao conjunto de bases de dados que utilizam os padrões estabelecidos na Metodologia LILACS denominamos Sistema LILACS. Atualmente, integram o Sistema LILACS as bases de dados: LILACS, BBO, BDENF, MEDCARIB e
bases de dados nacionais dos países da América Latina.

2 Introdução

A base de dados LILACS (Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde) é um produto cooperativo do Sistema Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde, coordenado pela BIREME.

A ela contribuem Centros Cooperantes dos países da América Latina e Caribe, que incluem as bibliotecas de redes ou sistemas de informação nacionais, os Centros de Documentação das Representações, Centros Regionais especializados e Biblioteca da Organização Pan-Americana da Saúde. Em cada país há uma Instituição Coordenadora da base de dados LILACS, que coordena as atividades dos Centros Cooperantes nacionais. A BIREME atua como Instituição Coordenadora da LILACS em nível regional, e em nível nacional para o Brasil.

Os Centros Cooperantes têm a responsabilidade de coletar, analisar e processar a literatura gerada no país, em um âmbito de atuação pré-definido, seja este geográfico (institucional, nacional, regional) ou temático.
Como as funções de coleta e seleção de documentos para a base de dados LILACS são descentralizadas, é necessário que os Centros Cooperantes do Sistema possam contar com um Guia de Seleção de Documentos para orientá-los. Critérios de seleção comuns são indispensáveis para garantir a integridade, compatibilidade e qualidade dos registros da base de dados e para manter um equilíbrio entre a rigidez e a tolerância extremas, evitando assim tanto a inclusão indesejável de documentos, como a exclusão daqueles relevantes.

A Metodologia LILACS permite a criação de bases de dados nacionais e a alimentação da base de dados regional LILACS. É responsabilidade de cada país integrante do Sistema decidir quais documentos têm valor nacional e/ou internacional para serem incluídos na LILACS. Os documentos de interesse local ou que não cumpram os critérios da LILACS devem ser incluídos somente nas bases de dados nacionais.

Os critérios de seleção deste Guia devem ser complementados, na prática, com a consulta a especialistas nas diferentes áreas de interesse da base de dados e com o emprego de outros componentes da metodologia LILACS como o vocabulário controlado DeCS (Descritores em Ciências da Saúde), Manual de Indexação, etc.

Os princípios de seleção aqui expostos não resolvem, provavelmente, todas as dúvidas que surgirem na hora de decidir. Se, depois de colocar em jogo todos os elementos decisórios, incluída a consulta a especialistas, a dúvida ainda persistir, o indexador deverá optar pela inclusão do documento.

Como todo componente da Metodologia LILACS, este Guia deverá ser melhorado através de comentários e sugestões de todos os que participam do esforço cooperativo de alimentação da base de dados LILACS, para que se alcance um alto grau de otimização.

3 Conceitos Básicos

Documento:

Considera-se como documento qualquer suporte, impresso ou não, passível de ser descrito bibliograficamente. Dentro do contexto da Metodologia LILACS um documento pode ser: uma coleção de monografias, uma monografia, o capítulo de uma monografia, uma tese, uma dissertação, o capítulo de uma tese, o capítulo de uma dissertação, um artigo de
periódico, um relatório, um trabalho apresentado em evento científico, um filme, uma gravação em vídeo e um registro sonoro não musical.

Documento convencional:

Obra/Item informacional, publicado e distribuído pelos canais formais de publicação (editoras comerciais, universitárias ou governamentais).

Documento não-convencional:

Obra/Item informacional que aparece fora dos canais convencionais de publicação. Não se publica formalmente, isto é, não tem uma editora responsável, normalmente é publicado para um número reduzido de pessoas, não está padronizado e por suas características de apresentação, não pode ser considerado como documento convencional.

4 Cobertura da Base de Dados

A LILACS abrange toda a área de Ciências da Saúde, num sentido bem amplo, cobrindo todas as áreas que tenham relação com a saúde humana: Medicina, Saúde Pública, Odontologia, Enfermagem, Veterinária, Engenharia Sanitária, Farmácia e Química, Biologia, Nutrição, Psicologia, Ecologia e Ambiente, etc.

Deve-se ter em mente que a comunidade de usuários que o sistema pretende atingir é a dos profissionais de saúde em geral, desde o especialista da área de Medicina, Odontologia ou Enfermagem, o profissional de Saúde Pública, o médico rural, o pessoal auxiliar de atendimento em saúde até o gestor em saúde vinculado aos Ministérios e Secretarias de Saúde.

Em termos gerais, a cobertura temática da LILACS está expressa, em linguagem documentária, no DeCS - Descritores em Ciências da Saúde, vocabulário controlado que auxilia o documentalista na análise do conteúdo dos documentos a serem ingressados, assim como na posterior recuperação dos mesmos.

Assim, sempre que o conteúdo possa ser descrito utilizando um ou mais dos descritores específicos de Saúde do DeCS, o mesmo deverá ser considerado para inclusão na LILACS.

O DeCS é uma tradução ao português e espanhol do Medical Subject Headings (MeSH), produzido pela U.S. National Library of Medicine, com uma ampliação para as áreas de Saúde Pública (SP), Homeopatia (HP), Ciência e Saúde (SH) e Vigilância Sanitária (VS). As Categorias temáticas principais do DeCS são apresentadas no Apêndice A.

A expansão para a área de Saúde Pública (SP) deu-se principalmente para atender às necessidades dos Centros Especializados e Programas da Organização Pan-Americana da Saúde no que se refere ao tratamento da informação gerada por essas instituições. Na Categoria SP foram incorporados temas como: Administração e Planejamento em Saúde, Prestação de Cuidados de Saúde, Epidemiologia e Bioestatística, Demografia, Saúde Ambiental, Nutrição, etc.
Os limites para a cobertura temática da LILACS não são rígidos e devem ser estabelecidos com bom senso, observando principalmente as áreas afins como, por exemplo, Engenharia Sanitária, Farmácia e Química, Veterinária, Biologia, devem ser considerados os documentos de interesse à saúde humana.

4.1 Cobertura Temática

A LILACS abrange toda a área de Ciências da Saúde, num sentido bem amplo, cobrindo todas as áreas que tenham relação com a saúde humana: Medicina, Saúde Pública, Odontologia, Enfermagem, Veterinária, Engenharia Sanitária, Farmácia e Química, Biologia, Nutrição, Psicologia, Ecologia e Ambiente, etc.

Deve-se ter em mente que a comunidade de usuários que o sistema pretende atingir é a dos profissionais de saúde em geral, desde o especialista da área de Medicina, Odontologia ou Enfermagem, o profissional de Saúde Pública, o médico rural, o pessoal auxiliar de atendimento em saúde até o gestor em saúde vinculado aos Ministérios e Secretarias de Saúde.

Em termos gerais, a cobertura temática da LILACS está expressa, em linguagem documentária, no DeCS - Descritores em Ciências da Saúde, vocabulário controlado que auxilia o documentalista na análise do conteúdo dos documentos a serem ingressados, assim como na posterior recuperação dos mesmos.

Assim, sempre que o conteúdo possa ser descrito utilizando um ou mais dos descritores específicos de Saúde do DeCS, o mesmo deverá ser considerado para inclusão na LILACS.

O DeCS é uma tradução ao português e espanhol do Medical Subject Headings (MeSH), produzido pela U.S. National Library of Medicine, com uma ampliação para as áreas de Saúde Pública (SP), Homeopatia (HP), Ciência e Saúde (SH) e Vigilância Sanitária (VS). As Categorias temáticas principais do DeCS são apresentadas no Apêndice A.

A expansão para a área de Saúde Pública (SP) deu-se principalmente para atender às necessidades dos Centros Especializados e Programas da Organização Pan-Americana da Saúde no que se refere ao tratamento da informação gerada por essas instituições. Na Categoria SP foram incorporados temas como: Administração e Planejamento em Saúde, Prestação de Cuidados de Saúde, Epidemiologia e Bioestatística, Demografia, Saúde Ambiental, Nutrição, etc.
Os limites para a cobertura temática da LILACS não são rígidos e devem ser estabelecidos com bom senso, observando principalmente as áreas afins como, por exemplo, Engenharia Sanitária, Farmácia e Química, Veterinária, Biologia, devem ser considerados os documentos de interesse à saúde humana.

4.2 Cobertura Cronológica

Não há restrições para data de publicação dos documentos incluidos na LILACS, dando-se preferência ao processamento de material mais recente para contribuir para a atualidade da base de dados. Anteriormente havia a restrição de documentos originados a partir de 1982, porém não é mais um critério vigente.

As bases de dados nacionais ou temáticas do Sistema LILACS poderão incluir documentos de datas anteriores, de acordo com critérios de seleção próprios.

4.3 Cobertura Geográfica

A LILACS inclui documentos de autores latino-americanos e do Caribe e/ou publicados nos países da Região e também os produzidos pela Organização Pan-Americana da Saúde, seus Programas e Centros Especializados.

Não serão incluídos documentos sobre a América Latina, publicados em países de fora da Região.

Esses documentos, em sua maioria, são indexados em bases de dados internacionais. No contexto da BVS, procurar-se-á incluir o maior número possível de bases de dados para pesquisa, de forma a contribuir para que se tenha acesso a documentos produzidos por latino-americanos e caribenhos no exterior e documentos sobre América Latina e Caribe produzidos por autores de outros países do mundo, indexados em bases de dados internacionais.

Devem ser ingressados na base de dados documentos representativos da produção científica dos países da Região, cujo conteúdo seja de interesse e validade nacional e/ou internacional.

Os documentos de interesse muito limitado ao país ou a uma região dentro do país devem ser ingressados nas bases de dados nacionais ou institucionais gerenciadas pelos Centros Cooperantes. Esses documentos, embora processados de acordo com a Metodologia LILACS, não são transferidos à base de dados LILACS.

4.4 Cobertura Idiomática

Somente serão considerados para inclusão os documentos em espanhol, português, inglês e francês.

O vocabulário do sistema é trilingüe - português/espanhol/inglês - e os documentos poderão ser indexados e recuperados por qualquer um desses idiomas.

Em caso de documentos com versões em várias línguas e fisicamente separados, que são muito freqüentes em documentos da Organização Pan-Americana da Saúde, pode-se processar todas as versões. Cada versão do documento constituirá um registro na base de dados LILACS, desde que não se trate de um título paralelo.

5 Critérios de Seleção por Tipo de Literatura

A regra principal de seleção é:

Um documento será considerado para inclusão na LILACS sempre que seu conteúdo se refira às Ciências da Saúde e possa ser descrito utilizando-se um ou mais dos descritores do DeCS.

Satisfeita esta condição essencial e respeitados os limites da cobertura geográfica, cronológica e idiomática da LILACS, também deverão ser considerados os seguintes pontos:

1. Qualidade do conteúdo

O conteúdo dos documentos ingressados na LILACS deve ser de natureza técnico-científica, preferencialmente pesquisas básicas ou aplicadas, conduzidas com o rigor do método científico, e documentos técnicos e normativos de agências governamentais ou organismos internacionais.

As monografias, artigos de periódicos, teses, dissertações e trabalhos apresentados em eventos passam por um controle de qualidade intelectual por especialistas e/ou revisão por pares (“peer review”) antes de serem publicados.

Outros tipos de documentos não são habitualmente submetidos a um controle de qualidade semelhante. A falta desse controle de qualidade, prévio à aparição do documento, obriga a que o mesmo seja estabelecido a posteriori.

Assim, quando não estiver claro o processo de controle de qualidade dever-se-á ingressar na LILACS documentos de instituições reconhecidas na área, que possam ser responsáveis pelo conteúdo do documento.

Cada país deverá procurar inserir na LILACS a produção científica nacional significativa e representativa, que mereça ser divulgada internacionalmente. Para tanto, é imprescindível que se constitua em cada país um Comitê de Seleção da LILACS, que será responsável pela observância dos critérios de seleção da LILACS e pela avaliação da literatura nacional ingressada na base de dados.

2. Validade e importância do conteúdo

  • Os documentos ingressados na LILACS devem ser úteis para:
  • tomada de decisões em saúde (estabelecer um diagnóstico, indicar um tratamento, aceitar ou rejeitar uma tecnologia, definir políticas, etc.);
  • elaboração de projetos ou estabelecimento de programas (informação estatística, sócioeconômica, cultural, etc.);
  • resolução de problemas específicos do país ou Região;
  • utilização como referência ou consulta;
  • treinamento de pessoal (materiais educacionais para cursos, seminários, etc.);
  • avaliação de atividades, procedimentos, métodos.

As informações contidas nos documentos da LILACS tem que possuir rigor metodológico de modo que sejam reprodutivas e aplicáveis a outras áreas geográficas e a situações diferentes.

Assim, não devem ser ingressados documentos que se referem a situações locais dificilmente reprodutíveis e replicáveis, de exclusivo interesse local ou informativos.

5.1 Publicações periódicas

5.1.1 Seleção de títulos de periódicos LILACS

Os periódicos a serem incluídos na LILACS serão selecionados por Comitês de Seleção designados em cada país ou Centro Especializado, de acordo aos critérios de seleção descritos no Apêndice B.

O Comitê de Seleção determinará os títulos a serem incluídos e o nível de seleção dos mesmos, isto é, se o título deve ser analisado em sua totalidade (capa a capa) ou de forma seletiva, extraindo-se deles somente artigos de interesse para LILACS. Por exemplo, um periódico de Economia ou Administração Pública poderá ser selecionado se publicar com freqüência artigos de interesse para a área da Saúde e, nesse caso, somente estes artigos seriam indexados.

Uma vez selecionado um periódico para a base de dados LILACS, obedecendo-se os critérios acima descritos, o título deverá ser descrito na base de dados SeCS (Seriados em Ciências da Saúde). As Instituições Coordenadoras da LILACS em cada país devem comunicar à BIREME a seleção dos títulos enviando a descrição completa deles para a base de dados SeCS ou enviando cópia da capa, página de rosto, expediente, etc., para que os mesmos possam ser descritos pela BIREME. Sem a descrição do título na SeCS, os registros enviados para LILACS correspondentes a eles serão
rejeitados pelos controles automáticos de qualidade.

5.1.2 Seleção de artigos de periódicos LILACS

A escolha dos artigos de cada fascículo dos títulos selecionados para a base de dados LILACS deve considerar para inclusão:

  • Artigos originais, com título e autores expressamente citados;
  • Artigos de revisão, atualização, relato de caso;
  • Comentários ou discussões sobre temas ou artigos originais, com autores e/ou títulos definidos. Se a discussão não apresenta autores definidos, a mesma será considerada parte do artigo e sua paginação incluída na do artigo;
  • Editoriais que possam ser considerados como artigos científicos especiais, geralmente acompanhados de referências bibliográficas;
  • Trabalhos apresentados em eventos científicos publicados nos periódicos. Se forem publicados somente os resumos dos trabalhos apresentados em eventos científicos, não devem ser feitas analíticas para cada resumo. Nesses casos, o fascículo deve ser incluído no todo e indexado pelo tema geral do evento;
  • Cartas ao Editor, de conteúdo substancial e equivalentes a "pequenos artigos";
  • Entrevistas com conteúdo científico significativo;
  • Reuniões anátomo-clínicas;
  • Obituários, com dados biográficos significativos;
  • Ensaios Clínicos devidamente registrados em base de dados.

Não devem ser considerados:

  • Editoriais, que constituam somente introdução aos temas do periódico, geralmente assinados
    pelo editor;
  • Notícias;
  • Traduções ou reimpressões;
  • Reproduções de artigos já publicados em periódicos nacionais e ou internacionais, salvo nos casos citados pela recomendação da ICMJE (http://www.icmje.org) – item III.D.3;
  • Editoriais, cartas, entrevistas e diálogos sem conteúdo científico significativo, de caráter pessoal;
  • Resumos em geral: de artigos de periódicos, de monografias, de trabalhos apresentados e eventos científicos, etc.;
  • Resenhas de monografias;
  • Anúncios de medicamentos ou equipamentos;
  • Relatórios administrativos ou informativos de eventos científicos (Conferências, Congressos, Seminários, etc.);
  • Relatórios financeiros e administrativos.

5.1.3 Seleção de artigos de periódicos não LILACS - Separatas

  • Considera-se como separata parte de um trabalho (no caso, artigos de revistas), exatamente com as mesmas características tipográficas e de formatação da obra original, que recebe uma capa, com as respectivas informações que a vinculam ao todo, e a expressão “Separata de” em evidência.
  • Uma vez selecionado o artigo da separata o título do periódico deverá ser descrito na base de dados SeCS (Seriados em Ciências da Saúde). Os Centros Cooperantes de cada país devem enviar à BIREME a descrição completa dos mesmos para a Base de Dados SeCS ou a cópia da capa, página de rosto, expediente, etc., para que ele possa ser descrito pela BIREME e, em futura atualização da base auxiliar utilizada pelo sistema, o título possa estar disponibilizado na relação.
  • Sem a descrição do título na SeCS os registros correspondentes a essas separatas enviadas para LILACS serão rejeitados pelos controles automáticos de qualidade.
  • Para a base de dados LILACS separatas não oficiais de revista deverão ser tratadas como material não convencional.

5.2 Monografias

Deverão ser consideradas para ingresso na LILACS as monografias que estiverem de acordo com os critérios de seleção anteriormente expostos, publicados nos países da América Latina e Caribe.

As monografias poderão ser analisadas no todo ou por capítulos (analíticas), possibilitando a utilização de toda a potencialidade do sistema de informação na descrição bibliográfica e de conteúdo do capítulo ou parte.
Diferentes edições serão consideradas como registros independentes. Reimpressões de uma mesma edição não deverão ser consideradas como novos registros. A informação sobre a reimpressão pode ser agregada como “nota” no registro.
5.2.1 Seleção de capítulos de monografias A regra básica para a seleção de capítulos é: um capítulo ou parte que possa ser considerado como um registro bibliográfico independente quando constitui por si mesmo uma entidade,
compreensível em si mesmo, sem considerar os capítulos que o precedem ou seguem.

Normalmente os capítulos considerados como analíticas tem autor(es) e/ou referências bibliográficas próprios.

5.3 Trabalhos apresentados em eventos científicos (seminários, conferências, reuniões, congressos, etc.)

Deverão ser incluídos os textos completos de trabalhos apresentados em eventos científicos, sejam estes publicados à parte ou reunidos nos Anais dos respectivos eventos.

Se nos Anais são publicados somente os resumos dos trabalhos não devem ser feitas analíticas para os mesmos. Nesse caso, os Anais devem ser registrados no todo (nível monográfico) e indexados pelos temas gerais do evento.

5.4 Manuais, guias, etc.

Esse tipo de publicação, originada geralmente de Ministérios ou Secretarias de Saúde, propõe-se a guiar o médico ou profissional de saúde sobre procedimentos frente a situações específicas ou prévias ao encaminhamento do paciente a níveis superiores do sistema de atendimento em saúde.

Devem ser incluídos e analisados, preferencialmente, em nível monográfico.

5.5 Tese, Dissertação

Serão incluídas na LILACS somente teses de doutorado, dissertações de mestrado e livre docência e outros níveis superiores de pós-graduação “stricto sensu”.

Exceção será feita para a área de Enfermagem e Saúde Pública (Epidemiologia, Serviços de Saúde, Atenção e Promoção da Saúde, Medicina Social, Saúde Bucal, Saúde da Mulher e da Criança, Veterinária de Saúde Pública, Nutrição, etc.) nas quais serão incluídas também as dissertações de mestrado ou monografias de cursos de especialização e de pós-graduação “lato sensu”, devidamente reconhecidos no país.

5.6 Relatórios técnico-científicos

Devem ser incluídos relatórios técnico-científicos que tenham conteúdo significativo e que descrevam pesquisas ou atividades técnicas realizadas por Sociedades, Associações, Instituições, Programas, Consultorias, etc.

Deve-se avaliar a profundidade com que as atividades são descritas (pesquisas realizadas, resultados obtidos, diagnósticos de situações, etc.). Relatórios gerais e sucintos não devem ser incluídos.

5.7 Legislação sanitária

Deve-se incluir material monográfico sobre legislação sanitária (Leis gerais de saúde, regulamentos sanitários, projetos e anteprojetos de lei, etc.), de âmbito municipal, estadual, nacional ou regional.

As leis, decretos, portarias, etc. serão registrados em base de dados específica de legislação no contexto da BVS, de preferência em texto completo.

5.8 Estatísticas

Deve-se incluir material monográfico contendo informação estatística procedente de organismos internacionais e governamentais sobre mortalidade, morbidade, serviços e pessoal de saúde, etc., que descrevam a situação sanitária do município, estado, país ou Região.

Excluir informações estatísticas que não estejam expressamente respaldadas por uma fonte governamental autorizada ou agência internacional.

5.9 Material educativo

Deverão ser incluídos materiais educativos de conteúdo significativo, produzidos por instituições de ensino, sociedades científicas, organismos governamentais e não governamentais reconhecidos na área.

Não deverão ser incluídos cartazes, folhetos e outros materiais de vida efêmera.

5.10 Bibliografias

Devem ser incluídas somente as bibliografias que contenham referências de obras de autores latino-americanos e que se refiram aos assuntos abordados na LILACS.

5.11 Filmes, Gravação em vídeo, Registros sonoros não musicais

Deverão ser incluídos documentos com conteúdo técnico-científico significativo, produzidos por instituições de ensino, sociedades científicas, organismos governamentais e não governamentais reconhecidos na área, de interesse nacional e internacional.

Não devem ser incluídos materiais de vida efêmera, de divulgação. Nesses casos, se considerado pertinente, eles podem ser citados como material acompanhante.

6 Referências bibliográficas

1. BIREME. Descritores em Ciências da Saúde. 2.ed. rev. São Paulo, 1992. 1111 p.
2. BIREME. Manual de Indexação. São Paulo, 1988. 209p.
3. BIREME. Qualificadores. In: Manual de Indexação. Rev. São Paulo, 1993.
4. CHAREN, Thelma. Medlars indexing manual: Part II. In: Bibliography Services Division: Index Section. Bethesda: National Library of Medicine, 1983.

7 Glossário

Afiliação. Instituição à qual o Autor pertence.

Analítica. Parte de um documento, como artigo de periódico ou capítulo de livro.

Área temática. Agrupamento específico de informação sobre o assunto de uma BVS cuja função é permitir ao usuário a navegação por tópicos.

Arquivo. Em computação, um conjunto de dados que pode ser gravado em algum dispositivo de armazenamento. Os arquivos de dados são criados por aplicativos, como por exemplo um processador de textos.

Backup. Procedimento no qual um ou mais arquivos e/ou diretórios são duplicados para outro dispositivo de armazenamento (fita ou disco), produzindo uma cópia de segurança que pode ser restaurada em caso de apagamento acidental ou dano físico dos dados originais.

Base de dados. Coleção de dados estruturados para serem acessados e manipulados facilmente. É formada por unidades chamadas registros, cujos diversos atributos são representados por campos. Por exemplo, num arquivo
"cadastro de clientes", cada cliente representa um registro, que possui vários campos, como "NOME", "CÓDIGO DO CLIENTE", "TELEFONE" etc.

Bases de dados bibliográfica. Versão eletrônica de um catálogo ou índice bibliográfico.

Browser. Navegador de páginas da internet, como o Google Chrome.

Categoria. Classe de grande generalidade.

CDS/ISIS – MicroISIS. Softwares desenvolvidos e mantidos pela UNESCO para o tratamento de dados bibliográficos.

Centro Cooperante. Instituição participante da BVS e/ou contribuinte de registros bibliográficos com a Bireme.

Centro especializado. Instituição especializada em determinado assunto da área da saúde.

Citação. Trecho de autoria de terceiro mencionada entre aspas em uma obra, com indicação do autor.

Código ISO. Código criado sob a tipologia da norma ISO 2709, dentro da OIT - Organização Internacional do Trabalho.

Comitê Editorial. Grupo de profissionais e especialistas da área de publicação de um periódico, cujo objetivo é estabelecer normas e convenções editoriais e avaliar as contribuições recebidas pela publicação com a finalidade de garantir um padrão de qualidade.

Cooperação técnica. Intercâmbio entre países em desenvolvimento, ou entre eles e os países desenvolvidos, para colaborar entre si em determinados setores, como a troca de peritos e de docentes, criação ou transferência de tecnologia, intercâmbio de informação e experiências para a melhoria das condições sanitárias.

Cutter. Tabela criada por Charles Cutter cujos símbolos servem para organizar documentos em ordem de autoria ou título.

DeCS Server. Aplicativo desenvolvido pela Bireme em linguagem IsisScript para gerenciar a base de dados de descritores em saúde (DeCS).

Descrição Bibliográfica. Descrição de um item bibliográfico por meio de atributos como autoria, título, edição, dimensões etc.

Epígrafe. Menção de autoria de terceiro colocada na abertura de uma obra cujo sentido geralmente está relacionado.Ver também citação.

FI-Admin. Sistema integrado de gestão de fontes de informação da Biblioteca Virtual em Saúde.

Formato eletrônico. Qualquer forma de armazenagem, recuperação e apresentação de informação passível de transmissão online ou gravação em mídia magnética ou óptica.

Formato ISO (de arquivo). Padrão estabelecido pela ISO para intercâmbio de dados entre instituições, redes e usuários.

Formato LILACS. Formato de descrição bibliográfica estabelecido pela BIREME, baseado na UNISIST Reference Manual for Machine-readable Bibliographic Descriptions.

Glossário. Vocabulário de uso específico ou controlado, utilizado em publicações para elucidar o significado de termos pouco usados, técnicos ou restritos.

Guia. Define os processos necessários a produção de uma fonte de informação ou fases de uma metodologia.

ID. Número de Identificação do registro na base de dados.

Indexação. Procedimento de identificar e descrever o conteúdo de um documento com termos que representam os assuntos correspondentes a esse documento com o objetivo de recuperá-lo posteriormente.

Instituição Coordenadora Nacional. Instituição cooperante da BVS cuja função maior é a coordenação dos centros cooperantes de uma região.

Lato sensu. Curso de pós-graduação, especialização. É um curso mais flexível e prepara para o mercado. Serve também como processo preparatório para o nível Stricto Sensu (mestrado e doutorado).

LILDBI-DOS. Versão DOS do sistema “LILACS Descrição Bibliográfica e Indexação”.

LILDBI-Web. Versão Web do sistema “LILACS Descrição Bibliográfica e Indexação”. Manual. Conjunto de passos e operações, automáticos ou manuais, necessários a instruir o usuário em determinado processo de uso de um aplicativo, programa ou metodologia.

Metodologia. Conjunto de normas e convenções utilizadas com a finalidade de padronizar um processo ou a produção de uma fonte de informação.

Modelo ou template. Arquivo que contém a definição básica do tipo de documento que se pretende utilizar, contendo estilos, textos predefinidos etc.

Nível analítico. Descrição bibliográfica de parte de um documento. Ver também Analítica.

Nível de tratamento. Definição codificada do grau de profundidade que receberá o documento no momento da descrição bibliográfica.

Nível monográfico. Descrição bibliográfica de um documento que constitui uma unidade em si mesmo.

PDF. Formato de arquivo desenvolvido pela empresa Adobe cuja função é manter, em meio digital e o mais fiel possível, o formato de apresentação de um documento concebido para impressão.

PHA. Tabela criada por Heloísa de Almeida Prado, cujos símbolos servem para organizar documentos em ordem de autoria ou título. É uma adaptação da tabela Cutter para nomes em português.

Produção científica. Cotejamento (reunião e análise) de toda literatura acerca de um tema ou de um autor específico para fins de análise usualmente quantitativa.

Protocolo TCP/IP. Norma que define o processo de comunicação entre equipamentos digitais utilizando um número de identificação único.

Strictu sensu. Curso de pós-graduação em nível de mestrado e doutorado, que prepara para a carreira acadêmica.

Texto completo. Conteúdo integral de qualquer documento originariamente eletrônico ou a versão digitalizada de um material baseado em papel. Esse material pode incluir artigos de revistas, artigos de jornais, documentos
governamentais e livros inteiros.

URL. Padrão definido para endereçamento de conteúdos de dados via protocolo TCP/IP. Os navegadores de internet utilizam a URL para acessar páginas na web.

Vocabulário controlado ou estruturado. Coleção de termos relacionados, organizados segundo uma metodologia, com o propósito de facilitar o acesso à informação com eles indexada.

Apêndice A - Categorias Principais do DeCS

Atualizado em: 07 dez. 2020

Para a versão mais atualizada, consultar: https://decs.bvsalud.org/sobre-o-decs/

ANATOMIA [A]
Regiões do Corpo [A01] +
Sistema Musculoesquelético [A02] +
Sistema Digestório [A03] +
Sistema Respiratório [A04] +
Sistema Urogenital [A05] +
Sistema Endócrino [A06] +
Sistema Cardiovascular [A07] +
Sistema Nervoso [A08] +
Órgãos dos Sentidos [A09] +
Tecidos [A10] +
Células [A11] +
Líquidos e Secreções [A12] +
Estruturas Animais [A13] +
Sistema Estomatognático [A14] +
Sistemas Sanguíneo e Imunológico [A15] +
Estruturas Embrionárias [A16] +
Tegumento Comum [A17] +
Estruturas Vegetais [A18] +
Estruturas Fúngicas [A19] +
Estruturas Bacterianas [A20] +
Estruturas Virais [A21] +

ORGANISMOS [B]
Eucariotos [B01] +
Archaea [B02] +
Bactérias [B03] +
Vírus [B04] +
Formas dos Organismos [B05] +A01 Regiões do Corpo

DOENÇAS [C]
Infecções [C01] +
Neoplasias [C04] +
Doenças Musculoesqueléticas [C05] +
Doenças do Sistema Digestório [C06] +
Doenças Estomatognáticas [C07] +
Doenças Respiratórias [C08] +
Otorrinolaringopatias [C09] +
Doenças do Sistema Nervoso [C10] +
Oftalmopatias [C11] +
Doenças Urogenitais Masculinas [C12] +
Doenças Urogenitais Femininas e Complicações na Gravidez [C13] +
Doenças Cardiovasculares [C14] +
Doenças Sanguíneas e Linfáticas [C15] +
Doenças e Anormalidades Congênitas, Hereditárias e Neonatais [C16] +
Doenças da Pele e do Tecido Conjuntivo [C17] +
Doenças Nutricionais e Metabólicas [C18] +
Doenças do Sistema Endócrino [C19] +
Doenças do Sistema Imunitário [C20] +
Transtornos de Origem Ambiental [C21] +
Doenças dos Animais [C22] +
Condições Patológicas, Sinais e Sintomas [C23] +
Doenças Profissionais [C24] +
Distúrbios Induzidos Quimicamente [C25] +
Ferimentos e Lesões [C26] +

COMPOSTOS QUÍMICOS E DROGAS [D]
Compostos Inorgânicos [D01] +
Compostos Orgânicos [D02] +
Compostos Heterocíclicos [D03] +
Compostos Policíclicos [D04] +
Substâncias Macromoleculares [D05] +
Hormônios, Substitutos de Hormônios e Antagonistas de Hormônios [D06] +
Enzimas e Coenzimas [D08] +
Carboidratos [D09] +
Lipídeos [D10] +
Aminoácidos, Peptídeos e Proteínas [D12] +
Ácidos Nucleicos, Nucleotídeos e Nucleosídeos [D13] +
Misturas Complexas [D20] +
Fatores Biológicos [D23] +
Materiais Biomédicos e Odontológicos [D25] +
Preparações Farmacêuticas [D26] +
Ações Químicas e Utilizações [D27] +

TÉCNICAS E EQUIPAMENTOS ANALÍTICOS, DIAGNÓSTICOS E TERAPÊUTICOS [E]
Diagnóstico [E01] +
Terapêutica [E02] +
Anestesia e Analgesia [E03] +
Procedimentos Cirúrgicos Operatórios [E04] +
Técnicas de Pesquisa [E05] +
Odontologia [E06] +
Equipamentos e Provisões [E07] +

PSIQUIATRIA E PSICOLOGIA [F]
Comportamento e Mecanismos Comportamentais [F01] +
Fenômenos Psicológicos [F02] +
Transtornos Mentais [F03] +
Disciplinas e Atividades Comportamentais [F04] +

FENÔMENOS E PROCESSOS [G]
Fenômenos Físicos [G01] +
Fenômenos Químicos [G02] +
Metabolismo [G03] +
Fenômenos Fisiológicos Celulares [G04] +
Fenômenos Genéticos [G05] +
Fenômenos Microbiológicos [G06] +
Fenômenos Fisiológicos [G07] +
Fenômenos Fisiológicos Reprodutivos e Urinários [G08] +
Fenômenos Fisiológicos Circulatórios e Respiratórios [G09] +
Fenômenos Fisiológicos Orais e do Sistema Digestório [G10] +
Fenômenos Fisiológicos Musculoesqueléticos e Neurais [G11] +
Fenômenos do Sistema Imunológico [G12] +
Fenômenos Fisiológicos do Tegumento Comum [G13] +
Fenômenos Fisiológicos Oculares [G14] +
Fenômenos Fisiológicos Vegetais [G15] +
Fenômenos Biológicos [G16] +
Conceitos Matemáticos [G17] +

DISCIPLINAS E OCUPAÇÕES [H]
Disciplinas das Ciências Naturais [H01] +
Ocupações em Saúde [H02] +

HOMEOPATIA [HP]
Homeopatia [HP1] +
Clínica Homeopática [HP2] +
Terapêutica Homeopática [HP3] +
Materia Medica [HP4] +
Repertório Homeopático [HP5] +
Semiologia Homeopática [HP6] +
Farmácia Homeopática [HP7] +

ANTROPOLOGIA, EDUCAÇÃO, SOCIOLOGIA E FENÔMENOS SOCIAIS [I]
Ciências Sociais [I01] +
Educação [I02] +
Atividades Humanas [I03] +

TECNOLOGIA, INDÚSTRIA E AGRICULTURA [J]
Tecnologia, Indústria e Agricultura [J01] +
Alimentos e Bebidas [J02] +
Instalações não Médicas Públicas e Privadas [J03] +

CIÊNCIAS HUMANAS [K]
Ciências Humanas [K01] +

CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO [L]
Ciência da Informação [L01] +

DENOMINAÇÕES DE GRUPOS [M]
Pessoas [M01] +

ASSISTÊNCIA À SAÚDE [N]
Características da População [N01] +
Instituições de Saúde, Recursos Humanos e Serviços [N02] +
Economia e Organizações de Saúde [N03] +
Administração de Serviços de Saúde [N04] +
Qualidade, Acesso e Avaliação da Assistência à Saúde [N05] +
Meio Ambiente e Saúde Pública [N06] +

CIÊNCIA E SAÚDE [SH]
Gestão de Ciência, Tecnologia e Inovação em Saúde [SH1] +

SAÚDE PÚBLICA [SP]
Políticas, Planejamento e Administração em Saúde [SP1] +
Atenção à Saúde [SP2] +
Estudos Populacionais em Saúde Pública [SP3] +
Saúde Ambiental [SP4] +
Epidemiologia e Bioestatística [SP5] +
Ciências da Nutrição [SP6] +
Desastres [SP8] +
Direito Sanitário [SP9] +

CARACTERÍSTICAS DE PUBLICAÇÕES [V]
Componentes de Publicações [V01] +
Formatos de Publicação [V02] +
Características do Estudo [V03] +
Fontes de Financiamento de Pesquisa [V04] +

VIGILÂNCIA SANITÁRIA [VS]
Sistema de Vigilância Sanitária [VS1] +
Vigilância Sanitária de Produtos [VS2] +
Vigilância Sanitária de Serviços de Saúde [VS3] +
Vigilância Sanitária Ambiental [VS4] +

DENOMINAÇÕES GEOGRÁFICAS [Z]
Localizações Geográficas [Z01] +